Fechar

Escolha o seu idioma ou região

Close

This website content is also available in COUNTRY TO CHANGE.

Sustentabilidade

Componentes em cortiça reduzem a pegada de carbono dos pavimentos

Os componentes de cortiça utilizados na indústria de pavimentos Amorim NRT®62 apresentam um balanço de carbono negativo. Notícias

Os componentes de cortiça Amorim NRT®62 com e sem barreira de vapor, da Amorim Cork Composites, especialmente desenvolvidos para a indústria de pavimentos, contribuem positivamente para reduzir a pegada de carbono do processo produtivo dos fabricantes de pavimentos. Isto porque ambos os componentes Amorim NRT®62, produzidos a partir da matéria-prima cortiça, têm um balanço de carbono negativo. Simultaneamente, evitam a transmissão de vibrações para a estrutura do edifício, reduzindo consequentemente o ruído de impacto.

Nrt

Balanço de carbono negativo

Segundo um estudo de análise levado a cabo pela consultora EY, o balanço de carbono do componente para pavimentos Amorim NRT®62 sem barreira de vapor é de -11,8kg CO2 eq/m2. O balanço de carbono do componente Amorim NRT®62 com barreira de vapor, por sua vez, é de -10,5kg CO2 eq/m2.  Promovendo um sequestro de carbono no montado superior às emissões de CO2 resultantes da sua produção, estas soluções surgem como uma excelente opção para os fabricantes de pavimentos que procuram o equilíbrio entre performance e sustentabilidade ambiental.

Matéria-prima 100% natural, reciclável e renovável, a cortiça consegue reduzir, assim, os possíveis impactos ambientais dos pisos que integrem os componentes Amorim NRT®62. As vantagens destes componentes são sobretudo visíveis quando comparamos estas referências da Amorim Cork Composites com outros componentes que utilizam matérias-primas cuja única fonte é de origem sintética. São disso exemplo as espumas de poliuretano e/ou de polietileno.

 

O estudo de pegada ambiental dos componentes para pavimentos Amorim NRT®62 foi conduzido pela EY segundo uma perspetiva de Ciclo de Vida. Isto é, e tendo considerado o sequestro da floresta do montado, baseou-se na abordagem cradle-to-gate, contemplando os impactos ambientais de todas as atividades, desde a extração da matéria-prima, passando pela produção de todos os componentes e indo até à porta da fábrica. A metodologia dos estudos da EY teve por base as normas ISO 14040/44, complementadas com as diretrizes do International Reference Life Cycle Data System (ILCD). Os dados associados à produção foram fornecidos pela Amorim Cork Composites, ao passo que os processos gerais de produção associados à produção das matérias-primas, energia, transporte e gestão de resíduos foram obtidos na base de dados ecoinvent 3.5.

L08zbs8tme0zwnjtbs95exn2uy1nwi9najdns01abs80etq0l2gzam5nm3nnbgjxnhmxc1hay1nubxr6dgrrcg

Partilhar

Tem interesse em saber mais sobre este tema?

Submeta os seus dados e nós entraremos em contacto consigo.